A maconha pode tratar doenças relacionadas à trombocitopenia

Um estudo publicado na revista Cell Cycle descobriu que a cannabis pode ser uma opção de tratamento para doenças relacionadas à trompocitopenia, ou plaquetopenia.

As doenças relacionadas à trombocitopenia são condições nas quais o corpo possui poucas plaquetas.

As plaquetas (trombócitos) são células sanguíneas incolores que estão envolvidas na coagulação do sangue. As plaquetas se agregam e formam uma espécie de tampão nas lesões dos vasos sanguíneos, parando o sangramento.

A trombocitopenia pode ser causada por um distúrbio da medula óssea, como leucemia, ou por um problema do sistema imunológico. Também pode acontecer com um efeito colateral de certos medicamentos. Esta doença pode afetar crianças e adultos.

Além disso, as doenças relacionadas à trombocitopenia podem ser leves e causar poucos sinais ou sintomas. Muitas vezes as pessoas que sofrem dessa condição não percebem, até que um exame de sangue seja realizado.

A cannabis para tratar doenças relacionadas à trombocitopenia

Para o estudo os pesquisadores enfatizaram o papel da cannabis em doenças relacionadas à trombocitopenia, especificamente o do canabinoide (sintético) 2-AG. Usaram o canabinoide para testar a fisiologia dos megacariócitos e como reagiram à cannabis.

O megacariócito é a maior célula da medula óssea, portanto é relativamente fácil de ser reconhecida por sua presença ao se observar um aspirado ou uma biópsia desse tecido. Difere das outras células pelo tamanho, sendo poliploide e crescendo por endomitose.

A endomitose é um tipo de mitose em que se formam cromossomos individualizados, que mais tarde se encontram no mesmo núcleo. Isso dá origem a células poliploides, ou seja, com maior número de cromossomos do que os da célula original.

Não há nenhuma outra célula humana no corpo humano que cresce e se multiplica assim.

Como mencionamos anteriormente, as doenças relacionadas à trombocitopenia podem ter sua origem em uma condição da medula óssea, ou seja, onde se encontram os megacariócitos.

Após a conclusão do estudo em células da medula óssea, os pesquisadores concluíram que os canabinoides podem ter eficácia clínica no combate a doenças relacionadas à trombocitopenia. Isso ocorre por meio da ativação da maturação dos megacariócitos e da liberação de plaquetas. Essas descobertas no campo da medicina posicionam a maconha com alta relevância.

Alívio dos sintomas de doenças relacionadas à trombocitopenia

Uma pessoa com câncer pode ter sangue com um nível extraordinariamente baixo de plaquetas, ou seja, trombocitopenia. As plaquetas são produzidas na medula óssea. A medula óssea é o tecido macio e esponjoso encontrado nos ossos maiores.

As plaquetas, também chamadas de trombócitos, param o sangramento ajudando o sangue a coagular e obstruindo os vasos sanguíneos danificados.

A trombocitopenia ocorre quando:

  • O corpo não produz plaquetas suficientes.
  • O corpo perde plaquetas.
  • O corpo destrói as plaquetas.

Este efeito colateral é comum em pessoas com câncer, especialmente aquelas que fazem quimioterapia.

Gerenciar os sintomas, que podem incluir trombocitopenia, é uma parte importante do tratamento e cuidado do câncer.

Pessoas com trombocitopenia podem ter alguns destes sintomas:

  • Hematomas inesperados
  • Pequenas manchas roxas ou vermelhas sob a pele chamadas petéquias
  • Sangramento do nariz ou gengivas
  • Nas mulheres, os períodos menstruais são mais intensos do que o normal
  • Evacuações intestinais com sangue ou preto
  • Urina vermelha ou rosa
  • Vomitar sangue
  • Fortes dores de cabeça
  • Tontura
  • Dor nas articulações ou músculos
  • Fraqueza

Pessoas com doenças relacionadas à trombocitopenia também podem ter dificuldade em parar o sangramento pelo nariz ou devido a um corte.

A maconha pode ser muito benéfica no alívio dos sintomas de doenças relacionadas à trombocitopenia. O tratamento da dor é um dos benefícios médicos da maconha.

Pesquisas revelam que a dor é o principal motivo pelo qual os americanos usam maconha.

A erva teve um grande impulso em 2017, depois que as Academias Nacionais de Ciências, Engenharia e Medicina divulgaram um relatório detalhado. Nele dizia que havia evidências substanciais de que a cannabis era eficaz no tratamento da dor crônica em adultos.

No entanto, para Sean Mackey, chefe da Divisão de Medicina da Dor do Stanford University Medical Center , “os dados são contraditórios”. Como ele explica, “certos benefícios” foram encontrados para alguns tipos de dor em uma série de ensaios clínicos randomizados, a maioria em pequena escala.

Em contraste, os resultados de grandes estudos epidemiológicos são bastante ambíguos. Do outro lado estão milhares de pessoas que afirmam que a maconha salvou suas vidas. Principalmente aqueles que sofrem de doenças relacionadas à trombocitopenia.

Referência de texto: La Marihuana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s