Dicas de cultivo: Damping Off – o que é e como evitar?

Se você é um cultivador de longa viagem, com certeza já sofreu com damping off  (amortecimento ou tombamento), também chamada de doença da muda. É bastante comum que de um momento para o outro encontremos nossas pequenas plântulas com o caule dobrado e caídas no substrato. Em 90% desses casos, a planta acaba morrendo. Muitas vezes isso é confundido com falta de rega, excesso de água ou até mesmo muito calor. Mas não é bem assim.

O que é o damping off?

O damping off é uma doença criptogâmica. Em outras palavras, é uma doença de plantas causada por um fungo ou qualquer outro organismo filamentoso parasita.

E não por causa de um fungo específico, mas pode haver várias causas para essa doença. De Botrytis, a Phythium, Fusarium ou Sclerotinia, entre outros.

Os esporos desses fungos são geralmente encontrados em todos os tipos de substratos não esterilizados. Ou basta que em um solo esterilizado esteja com condições favoráveis ​​para o seu desenvolvimento para que os esporos o invadam.

A falta de ventilação na lavoura, substrato sempre alagado ou muito compacto, altas temperaturas e alta umidade ambiente, são criadouros de todos os tipos de fungos.

O damping off geralmente ataca sementes e plântulas nos primeiros dias de vida. E na grande maioria dos casos em mudas, ataca o caule na parte rasa do substrato.

Com a vulnerabilidade demonstrada pelo caule de uma plântula, como citado antes, a planta na maioria das vezes acaba morrendo.

Sintomas do damping off

As sementes podem ser infectadas por qualquer um dos fungos que causam o damping off, como mencionamos anteriormente. Nesse caso, geralmente faz com que o embrião escureça e amoleça, matando-o antes mesmo de germinar.

Quando ataca as mudas, produz uma mancha esbranquiçada no caule ao nível do solo. O caule fino afina, dobra e, no final, acaba quebrando, fazendo a plântula cair no substrato.

Ao afetar os vasos vasculares do caule, o fornecimento de nutrientes e água diminui. As folhas mostram posteriormente um aspecto flácido, como se faltasse rega.

Como evitar o damping off?

Já lemos quais foram os fatores que mais influenciam no surgimento desse grupo de fungos tão letais. Portanto, tentaremos, na medida do possível, evitá-los.

Por exemplo, colocaremos nosso cultivo ao ar livre em áreas bem ventiladas e não muito sombreadas. Se cultivarmos em ambientes fechados, um bom sistema de ventilação é essencial.

Os vasos de cor escura também devem ser evitados ao ar livre, pois superaquecem ao sol e essa temperatura é transferida para o substrato. Além disso, deve-se evitar regar em excesso ou nas horas de sol ou calor diurno máximo.

E quanto ao substrato, use sempre um substrato preferencialmente esterilizado. E se não for possível, pelo menos use um substrato bem compostado, pois os restos orgânicos em decomposição atraem muitos patógenos.

Existe tratamento para o damping off?

Por ser uma doença tão agressiva que ataca durante a germinação e nos primeiros dias da muda, os tratamentos costumam não agir a tempo.

Em alguns casos, a planta pode se recuperar por conta própria se as condições melhorarem. Tente levantar a muda enterrando um pouco mais ao redor do caule ou prendendo-a com estacas.

Mas na maioria dos casos, isso é inútil e a planta vai morrer em poucas horas, apesar de tudo que tentarmos. Nesse caso, vale a pena não perder mais tempo e germinar mais sementes.

A melhor arma sempre será a prevenção. Repetimos: usar substrato esterilizado, proporcionar boa ventilação, não regar nas horas de máximo calor ou manter o substrato sempre encharcado.

Além disso, o damping off se espalha muito rapidamente. Se várias plantas são cultivadas, não é surpreendente que várias tenham as mesmas condições.

Se essa doença se desenvolver em uma planta, devemos temer por todas as outras. Neste caso, devemos agir o mais rápido possível.

É recomendável descartar o substrato de uma planta atacada por damping off. O vaso também deve ser bem desinfetado antes de usá-lo novamente, além de todas as ferramentas de cultivo utilizadas.

O fungo Trichoderma é muito eficaz, amplamente utilizado no tratamento de sementes e solo para o controle de diversas doenças causadas por fungos patogênicos.

O silício também é muito interessante. É um nutriente que fortalece as paredes celulares das plantas, tornando-as mais resistentes.

Você pode usar um fertilizante rico neste elemento, ou um mononutriente composto apenas de silício. Nestes casos, será utilizado misturado à água de rega.

Você também pode optar por terra diatomácea. Além de um alto teor de sílica, manterá afastadas as possíveis pragas do solo. Desde as moscas do substrato até os nematoides.

Referência de texto: La Marihuana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s