Dicas de cultivo: microrganismos do solo – a chave para o seu cultivo de maconha

Os microrganismos do solo são uma série de minúsculas criaturas que vivem no solo. Alguns desses organismos podem formar relações de apoio mútuo com as plantas, ajudando a proteger e promover a saúde do cultivo. Sem dúvida, essas formas de vida são uma grande contribuição para qualquer cultivo de maconha.

A palavra micróbio, ou microrganismo, é usada para descrever organismos microscópicos que são invisíveis ao olho humano e só podem ser vistos sob um microscópio, como bactérias, vírus e fungos. Os microrganismos são absolutamente essenciais para a saúde do solo e das plantas. Frequentemente, tendemos a ter uma abordagem isolada das coisas. No caso da natureza, separamos algumas partes de outras para poder estudá-las isoladamente e compreender suas funções e características.

Mas, ao fazer isso, subestimamos a grande interconexão da rede da vida e como os seres vivos dependem uns dos outros para sobreviver, às vezes formando relações simbióticas para ajudar uns aos outros.

Este tipo de relação simbiótica é muito abundante no solo entre microrganismos e plantas. Os cultivadores de maconha podem aproveitar essa conexão para promover um solo saudável e um crescimento vigoroso das plantas.

Esta frase da microbiologista e pesquisadora em biologia do solo, Dra. Elaine Ingham, explica a importância da aliança entre solo saudável e microrganismos: “Se queremos água limpa, temos que devolver a biologia aos nossos solos. Se quisermos cultivar e colher, temos que desenvolver o solo e a fertilidade com o tempo, não destruí-los. A única forma de conseguir esses resultados é melhorando a vida do solo”.

Plantas e micróbios: uma união simbiótica

Embora as plantas não tenham cérebro e, pelo que sabemos, também não tenham consciência (embora possamos estar errados), elas possuem mecanismos químicos que lhes permitem alterar e configurar seu ambiente externo. E grande parte dessa magia acontece no solo. O solo às vezes é visto como uma fonte simples de nutrientes onde as plantas podem se desenvolver, mas na realidade ele é um ecossistema complexo e fascinante, carregado de vida microbiana.

No ecossistema do solo, as plantas e os microrganismos não apenas fazem suas próprias coisas de forma independente, mas interagem ativamente e até trabalham juntos para tornar a vida mais fácil para ambos e aumentar suas chances de sobrevivência. A atividade microbiana pode aumentar o crescimento da planta por meio de uma série de mecanismos, incluindo a alteração dos sinais do hormônio, repelindo ou derrotando micróbios patogênicos e aumentando a biodisponibilidade de nutrientes.

Absorção de nutrientes

Todos esses mecanismos oferecem vantagens para os cultivadores, especialmente aqueles que cultivam outdoor, onde as condições são mais adversas e a biodiversidade é muito maior. A maioria dos cultivadores já está familiarizada com os nutrientes NPK (nitrogênio, fósforo e potássio), os 3 macronutrientes de que as plantas mais demandam para um crescimento saudável e vigoroso.

Os microrganismos do solo podem ser de grande ajuda para as plantas, liberando nutrientes bloqueados do solo para que possam ser mais facilmente absorvidos pelas raízes. Micróbios do solo podem metabolizar nutrientes bloqueados, como NPK, que são ligados a moléculas inorgânicas, tornando-os mais disponíveis para as plantas.

Alguns desses microrganismos, como bactérias ou fungos, têm a capacidade de decompor os nutrientes encontrados nesse estado e, ao fazer isso, os liberam de uma forma utilizável para as plantas. Esses aliados microscópicos são considerados motores essenciais do crescimento das plantas em ambientes naturais. É claro que os cultivadores, tanto indoor quanto outdoor, podem se beneficiar muito com a presença de microrganismos no solo do cultivo.

Como é feito o vínculo

Essa relação não significa, de forma alguma, dar tudo e receber nada. As plantas se beneficiam de um maior acesso aos nutrientes essenciais, mas os micróbios também recebem algo em troca. As raízes das plantas liberam uma série de substâncias para a terra: exsudatos. Alguns deles incluem açúcares, aminoácidos e ácidos orgânicos, que são uma fonte de alimento para microrganismos.

Os exsudatos contribuem efetivamente para o desenvolvimento do microbioma radicular. Esses nutrientes também podem atrair micróbios patogênicos, mas felizmente alguns dos microrganismos benéficos têm mecanismos de defesa contra eles.

Micorrizas

A união mais interessante entre plantas e microrganismos é possivelmente a relação entre plantas e fungos. Um tipo de fungo, denominado fungo micorrízico, liga-se às raízes das plantas. A parte enterrada dos fungos, que pode ser considerada suas raízes, é chamada de micélio. Ao juntar-se às raízes, o micélio dos fungos micorrízicos atua como se fosse uma extensão destes, permitindo-lhes absorver nutrientes de uma área muito maior do que poderiam ter coberto agindo sozinhos.

Portanto, os fungos micorrízicos fornecem umidade e nutrientes adicionais às plantas. Em troca, os fungos se alimentam dos exsudatos açucarados das plantas. Essa aliança simbiótica é chamada de micorriza.

Existem dois tipos principais de micorrizas: ectomicorrizas (que vivem do lado de fora das raízes) e endomicorrizas (que vivem na própria planta). Se você deseja aproveitar o poder dos fungos para aumentar a absorção de nutrientes de seu cultivo, lembre-se que o abuso de fertilizantes e o uso de fungicidas podem prejudicar e reduzir a eficácia desses organismos.

Bactérias benéficas: Rizobactéria

Várias espécies de bactérias também são um componente importante da cadeia alimentar do solo. Além de desempenhar um papel fundamental na cadeia alimentar e na reciclagem de nutrientes, interagem diretamente com as raízes das plantas, proporcionando-lhes excelentes benefícios.

Alguns produtos específicos introduzem numerosas espécies de bactérias e algas benéficas no meio de cultivo que ajudam as plantas a absorver nutrientes e combater patógenos. Essas espécies bacterianas geram promotores de crescimento que desempenham um papel essencial na fixação do nitrogênio da atmosfera e tornam os nutrientes essenciais disponíveis para as plantas de maconha.

Esses seres microscópicos também ajudam a quebrar a matéria orgânica e a liberar nutrientes que são facilmente absorvidos pelas plantas. Além disso, após uma vida inteira lutando contra micróbios nocivos e liberando nutrientes, esses micróbios morrem e liberam mais alimentos vegetais na zona da raiz.

Defesa das raízes

Os fungos micorrízicos não só oferecem mais nutrientes às plantas; eles também podem proteger contra alguns tipos de nematoides. Os nematoides são vermes microscópicos e em um punhado de solo pode haver milhares deles. Mais de 20.000 espécies de nematoides foram documentadas, sendo o animal mais numeroso do planeta.

Alguns nematoides podem ser benéficos para as plantas de maconha, como veremos adiante. Mas alguns deles podem ser bastante prejudiciais. Os nematoides fitoparasitários se alimentam das raízes, afetando a saúde e o crescimento das plantas.

Tipos de nematoides

Os nematoides ectoparasitas vivem na rizosfera (a área do solo ao redor das raízes), onde se alimentam das células externas das raízes. Em vez disso, os nematoides endoparasitários penetram nas raízes para se alimentar. Este tipo de nematoide causa danos aos cultivos agrícolas.

O micélio dos fungos é formado por minúsculos filamentos separados, chamados de hifas. Esses pequenos fios são capazes de prender os nematoides devoradores de raízes, evitando que ataquem o sistema radicular das plantas.

Nematoides predadores

Nem todos os nematoides representam uma ameaça para o seu cultivo. Na verdade, alguns desses organismos, chamados de nematoides predadores, podem atuar como um sistema de segurança para suas plantas. Eles se alimentam de outros micróbios que habitam o rizoma, incluindo os temidos nematoides fitoparasitas que comem as raízes da cannabis. E não só isso; Esses nematoides benéficos também liberam nutrientes em um formato assimilável para as plantas, de forma que também contribuem para a saúde e fertilização do cultivo.

A maioria dos nematoides predadores pertence a 4 grupos taxonômicos diferentes. Os nematoides Mononchida têm uma cavidade oral que geralmente é equipada com um único dente, vários dentes grandes, vários dentes pequenos em forma de garra ou todos eles ao mesmo tempo, que usam para furar suas presas. Os nematoides Dorylaimida têm um dente semelhante a uma agulha, denominado odontostilo. Com esse dente, atacam e se alimentam de suas presas e, com isso, ajudam a reduzir o número de organismos devoradores de cannabis na rizosfera.

Existem mais dois tipos de nematoides predadores. Os nematoides Diplogaster também têm pequenas cavidades na boca, armadas com dentes. Eles geralmente são encontrados em grandes grupos que habitam estrume em decomposição e têm um ciclo de vida de uma ou duas semanas. E por último, os nematoides Apelenchus têm um furador em forma de agulha que eles usam para penetrar nos nematoides presas e injetar enzimas digestivas paralisantes.

Introduzindo nematoides em seu cultivo

Esses nematoides podem ser um tanto ferozes, mas certamente ajudam a proteger suas plantas de maconha contra um grande número de habitantes indesejáveis ​​do solo.

A melhor época para introduzir nematoides predadores em seu cultivo é no final da tarde; Isso os impedirá de serem expostos à luz solar direta, o que pode matá-los. Devem ser mantidos na geladeira até o momento da aplicação. Antes de introduzi-los, o solo deve estar ligeiramente úmido e deve ser regado após a aplicação.

Adicione-os diretamente sob as plantas que deseja proteger, em vez de espalhá-los por todo o solo. A maneira mais fácil de aplicá-los é misturando-os com a quantidade de água indicada nas instruções do produto que você decidir usar. Você pode então pulverizar essa mistura diretamente no solo.

Promovendo a microbiologia do solo

Os cultivadores podem usar vários métodos para aumentar a quantidade de microrganismos benéficos no solo, melhorando a saúde das plantas e, possivelmente, a quantidade e a qualidade da colheita.

Criar e aplicar um composto

Um desses métodos é criar e aplicar um composto de boa qualidade. Na verdade, a compostagem é um processo realizado por microrganismos aliados. Estes decompõem a matéria orgânica, como cascas de frutas e legumes, plantas indesejadas no jardim e outros restos orgânicos, transformando-os em nutrientes de alta qualidade para as plantas.

Ao fazer a pilha de composto, certifique-se de adicionar materiais “verdes” suficientes (como folhas, aparas de grama ou restos de frutas e vegetais), misturando-os com materiais “marrons” (como palha, lascas de madeira ou galhos). As pilhas de composto precisam ser removidas para que o ar chegue a todas as áreas, contribuindo para a decomposição dos materiais.

Adicionar este composto ao solo não só fornece muitos nutrientes saudáveis, mas também microrganismos benéficos. Com o composto, os cultivadores podem reduzir ou até abandonar o uso de fertilizantes ou produtos sintéticos.

Chá de composto

O chá de composto é uma forma natural excelente de fornecer combinações poderosas de nutrientes essenciais para as plantas. Esses chás podem ser preparados com uma grande variedade de restos orgânicos. Chás de compostagem demonstraram aumentar a qualidade nutricional e até mesmo o sabor dos vegetais, então quem sabe o que eles podem alcançar quando se trata da qualidade da maconha.

Para prepará-lo, os restos de matéria vegetal e húmus de minhoca são misturados com água e deixados para fermentar por um período de tempo. Há um debate sobre qual tipo de fermentação é mais benéfico para as plantas: aeróbica (com oxigênio) ou anaeróbica (sem oxigênio). Mas o chá de composto aeróbico, criado com uma bomba de ar, aumenta o número de microrganismos benéficos. Depois de fermentado, este chá pode ser aplicado em volta das plantas.

Não lavrar

Lavrar a terra é uma técnica agrícola usada para preparar a terra para futuros cultivos. Mas esse método tem se mostrado prejudicial à saúde do solo, contribuindo para sua erosão, além de liberar grande quantidade de dióxido de carbono na atmosfera, que já está excessivamente carregada desse gás. Arar a terra também está associado à perda de vida microbiana no solo.

Ao lavrar anualmente, revira-se a camada mais superficial do solo (os primeiros 5 cm, aproximadamente). Quando isso acontece, o húmus (solo rico em matéria orgânica) fica exposto aos elementos, prejudicando a vida microbiana que o habita e alterando processos naturais.

Com a técnica do “sem arado”, ao não lavrar a terra, este delicado habitat não é perturbado. Esse método ajuda a manter o aumento constante de matéria orgânica no solo com o passar dos anos. Esse acúmulo de nutrientes resulta em um solo mais saudável e nutritivo para as plantas.

Evite o uso de pesticidas

Na agricultura industrial e não orgânica, os pesticidas são frequentemente usados ​​como uma medida química contra pragas indesejadas. Embora possam ser eficazes nesse sentido, o uso desses produtos químicos demonstrou produzir efeitos enormemente negativos na saúde humana e na natureza. Os pesticidas estão associados a vários problemas de saúde e podem facilmente contaminar os sistemas de água, onde podem causar danos à vida selvagem.

Esses pesticidas não apenas matam pragas indesejadas, mas também afetam negativamente os microrganismos benéficos. E, ao fazer isso, eles limitam ou impedem o incrível trabalho que esses micróbios fazem no solo. Por exemplo, foi observado que microrganismos fixadores de nitrogênio, ou aqueles que ajudam a dissolver o fósforo, tornam-se inativos em solos contaminados com pesticidas.

Leia também:

Referência de texto: Royal Queen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s