7 lugares no mundo que devem seu nome à cannabis

A planta de cannabis, nossa querida maconha, está no mundo há milhões de anos e na companhia dos humanos são milhares. Sua marca ao longo do tempo pode ser vista em uma ampla variedade de assuntos. A influência da planta no mundo é tão grande que inclusive alguns lugares receberam seus nomes por causa da erva.

Kanepi: é uma pequena cidade no condado de Põlva, no sudeste da Estônia, com pouco menos de 700 habitantes. Os primeiros registros que o mencionam são do ano de 1582, onde a área era um importante local de produção de cânhamo. Em março de 2018, o governo anunciou aos cidadãos que teriam que votar para ter uma nova bandeira e escudo. E como kanep em estoniano significa cannabis, a bandeira vencedora de todos aqueles que optaram por se tornar uma bandeira oficial, é claro, uma grande folha de cannabis centralizada nas cores branca e verde. Se você decidir visitar Kanepi, gostará de ver sua bandeira tremulando na prefeitura.

Canepina: é uma pequena comuna italiana a cerca de 60 quilômetros de Roma. Canapa em italiano é o mesmo que cânhamo. A Itália ficou atrás da Rússia, o maior produtor de cânhamo entre o final do século XIX e o início do século XX, até que os interesses dos EUA conseguiram tornar a maconha e o cânhamo proibidos em todo o mundo. E era um povo tão próximo do cânhamo que até o enxoval das noivas eram feitos com fios de suas fibras. Hoje o cultivo está voltando novamente para a Itália e, claro, para Canepina, onde também têm um restaurante com um cardápio à base de maconha, Agriristoro Il Calice e la Stella.

Kenderes: é uma pequena cidade na Hungria de pouco mais de 4.500 habitantes, pertencente ao distrito de Karcag no condado de Jász-Nagykun-Szolnok. Desenvolveu-se principalmente nos séculos XVI-XVII. Seu nome é herdado de kender, que significa cânhamo. A tradução de Kenderes poderia ser algo como “aquele que têm cânhamo”. O seu principal ponto turístico é o castelo de estilo barroco de Miklós Horthy (1868-1957), governante da Hungria durante 24 anos e natural desta cidade.

Hamppu: é uma pequena cidade da Finlândia. Hamppu nesta língua é como é chamada a cannabis. O cultivo de cânhamo na Finlândia é um dos mais antigos da Europa, vindo da China durante o início da Neolítica Idade da Pedra. O pólen de cânhamo encontrado no sedimento Huhdasjärvi de Kouvola foi datado de cerca de 4800 a.C. Sua popularidade aumentou durante a segunda onda da agricultura nos séculos 15 e 16 e atingiu seu pico nos séculos 18 e 19, quando era cultivada em quase todo o país.

Hempstead: é uma das três cidades do condado de Nassau, Nova York, e ocupa a parte sudoeste do condado, na metade oeste de Long Island. A cidade foi fundada por volta de 1644 após um tratado entre colonos ingleses e os índios Lenape. Seu nome é uma referência clara ao cultivo de cânhamo. Podemos encontrar muitas outras cidades com nomes que nos lembram que um dia o cânhamo foi um grande motor econômico, como Hempstead County no Arkansas, Hempstead no Texas, Hemphill na Carolina do Norte ou Hempfield na Pensilvânia, entre outros.

Chennevières-sur-Marne: é um município localizado a sudeste de Paris, onde foram encontrados assentamentos de tempos pré-históricos. É uma localidade montanhosa e ribeirinha, onde os gauleses construíram aldeias e começaram a plantar vinhas no século IV. O nome da cidade deriva de “Canaveria”. Significa cânhamo francês, em referência às grandes colheitas que lá foram feitas durante séculos. Também em seu brasão, uma planta de cannabis é orgulhosamente exposta.

Cañamares: é uma pequena cidade de Cuenca, Espanha, com apenas 467 habitantes. Situada em plena zona montanhosa, funciona como um limite natural entre a Alcarría e a Serranía de Cuenca. Foi fundada na Alta Idade Média, quando soldados de La Rioja se estabeleceram no Vale das Escabas. Tanto em seu escudo quanto em sua bandeira, uma marcante planta de cannabis domina a cena, uma referência ao seu passado, onde os cultivos de cânhamo eram muito comuns nesse país e tão importantes na guerra pelo domínio dos mares. As fibras da planta eram usadas na fabricação de cordas, velas, entre outras coisas.

Referência de texto: La Marihuana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s